A Árvore E Os Ramos

Guardo de ti

a inocência poética

neste silêncio em que por adorar-te

o meu corpo cumprindo a ordem

do cérebro do qual

somos galhos da mesma árvore

se abstém dolorosamente de gravar o teu nome :

é omitindo-o com respeito e pesar que o sangue se honra

– em homenagem .

(Aos olhos é roubado o retorno à felicidade)

Dedicado à minha tia Adélia

JouElam , 19042012

PS: creio que escreverei tarde demais as palavras que tu
sempre mereceste , é insuportável esta minha falta de
“engenho e arte” na hora mais crucial . Agora , resta todo
o tempo do mundo … para não (nos) ouvirmos mais …
Talvez o Céu seja o lugar de toda a poesia …
Subscrevendo com amor o apelido da nossa génese , Pereira!

JouElam , 19042012

Advertisements

~ por dandallavecchia em 19/04/2012.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: