Memória De Quieta Inquietação

•03/07/2011 • Deixe um Comentário

Meu amor

e se

amanhã

acordarmos

ao som

celestial

da bomba

atómica …

Luiz Sommerville Junior, 1973

Anúncios

Hiroshima E Nagasaki

•03/07/2011 • Deixe um Comentário

66 anos

Há quase 66 anos o mundo assistiu,

e uma parcela da nossa Terra quase desapareceu,

ao lançamento da primeira bomba atómica,

ironicamente baptizada de Little Boy,

(Hiroshima,Japão 6 de agosto de 1945) .

Quando campeiam por aí os mais estranhos

devaneios acerca do ano 2012 e simultaneamente

pouco ou nada se esclarece sobre

“a teoria de conspiração” , urge não esquecer

as chagas históricas que se encontram

muito longe de serem sanadas.

A ferida ainda sangra, a seiva escorre, o golpe desferido

na árvore da vida foi demasiado profundo para que o esqueçamos …

A partir d´hoje e por tempo indeterminado

este blog recordará o ponto crucial

que joga aos nossos olhos a barbárie

que o Homem quando ignorante do amor; quando

ausente do amor inteligente, provoca em toda a humanidade .

Meditemos …

Saudade

•12/06/2011 • Deixe um Comentário


Hoje eu apenas queria
a certeza mínima
de que um dia
todos os meus anseios
e as lágrimas
que não me deixam vislumbrar
as cores do arco-íris,
farão parte de um passado,
e que a tristeza de amar
sem ter quem amo ao meu lado,
será lembrança num porta-retrato…
Tenho as tintas e a tela na mão,
mas não tenho inspiração,
porque esse mar que embeleza
todo o horizonte e encanta a minha visão
é o mesmo que nos separa,
me consome em saudade e solidão.

Onde Os Anjos Não Tem Vez

•08/06/2011 • Deixe um Comentário

Minha bagagem traz a marca sofrida,

desta estrada sinuosa, terra de Maria

onde a dor habituada é parte da vida,

os reclames  a canção deste dia-a-dia.

Pés descalços no chão da minha ferida,

calejados,  não sentem eterna sangria,

e se do mundo inda sou surpreendida:

posto que na terra se sofre, quem diria,

para garantir no céu do pai boa acolhida.

Que a santa misericórdia seja mais valia,

lá na casa de pau-a-pique que guarida

pouca ou nada me dá e, sendo Deus a via

de esperança a que me apego, vencida

seja a miséria que me rouba a alegria.

Melhor de Dois

•03/06/2011 • Deixe um Comentário

Meus olhos contemplam
o interior dum violino arco do vento,
despertando a beleza do teu ser…
Corda a vibrar nas mãos em dueto , semelhante !
das coisas sobre o amor,
que eu gostaria de te dizer,
nestas linhas purificadoras, desconstruindo os traçados , antigos !
das palavras certas que não me encontram,
e neste novo edifício que aponta para o céu ,
num destino reconstruído d’oraçao …
sigo à procura dum expressar desta paixão,

e é num rosto-fascínio de anjo,
sorrindo-me,
o mais próximo que posso ,
nesse teu porto de sonhos, nunca abandonados,
chegar…


A pureza deste sentimento que desejo,
o apertar irmão que é mais que toda a razão…
e não há distância
a rasgar o elo forjado no divino,
não existe pensamento,
alargado aos mares desta crença defensora do tu,
que me possam desviar desta certeza que tenho,
ou do método que destrói todas as incertezas…
Tu tens o dom de me fazer sonhar,
é o raio de luz alongado que me conduz ao encontro
de um mundo melhor,
galgado no centro da verdade

e renascido das nossas tempestades…
Alegria do meu dia que é teu,
e mesmo quando a esperança,
está por um triz,
teu nome me devolve à realidade,

tua aliança dourada no meu peito desenhada,
do sagrado que descobri…


infinito é o tempo que nos abriga,
finito é o tempo que nos separa…
infinito é o ar que em tudo nos une …

finitas são as poeirinhas deste universo que nos oprimem,
sagrado é o manto que nos envolve
neste sudário da carne que nos redime ,
forte o escudo que nos protege,
indestrutível a casa que nos dá guarida
e abençoada a estrada que me levará ate você…”


Dueto: Daniele Dallavecchia & Luiz Sommerville Junior

Templo

•22/09/2008 • Deixe um Comentário

Amo-te

Ó dia !

Abre-te

ó pérola

resguardada na dobra da orquídea ! …

© Luiz Sommerville Junior

Ponto De Fusão

•01/03/2007 • 1 Comentário

Tombo

Sobre a lage de Kilimanjaro

Onde uma flor histórica

Verte uma lágrima de lava

Madrugando com as cinzas

© Luiz Sommerville Junior , 01.Março.2007

* 2 Anos De Mandolins *

 
%d bloggers like this: